Direito

Apresentação 

 

  O curso de Direito da PUC-SP acaba de receber o Selo de Qualidade OAB Recomenda. Clique aqui e saiba mais. 

A Faculdade de Direito objetiva e oferece a possibilidade de formar profissionais capazes de:

  • operar criticamente o ordenamento jurídico em sua inter-relação com as demais ciências, de forma a contribuir para a realização da Justiça;
  • atuar nas diversas áreas, instituições e carreiras jurídicas de forma crítica e condizente com o constante dinamismo da legislação, doutrina e jurisprudência;
  • desenvolver estudos, pesquisas, projetos na área do Direito, na área acadêmica, no magistério ou de intervenção social;
  • elaborar, interpretar, produzir conhecimentos jurídicos capazes de promover a existência de um Estado Democrático de Direito e de uma sociedade igualitária, pacífica, solidária e ética, mediando e instrumentalizando os processos de paz e de cidadania;
  • ler, analisar, compreender e produzir textos e documentos técnico-jurídicos, utilizando-se corretamente da linguagem, com clareza, precisão, propriedade, fluência verbal e riqueza de vocabulário;
  • interpretar o Direito, pesquisando e utilizando legislação, doutrina, jurisprudência e outras fontes para aplicá-lo individual e socialmente;
  • utilizar o raciocínio lógico, de argumentação, de persuasão e de reflexão crítica;
  • compreender a interdisciplinaridade do Direito e os instrumentos e técnicas para sua aplicação à realidade individual e social;
  • equacionar problemas em harmonia com as exigências sociais, inclusive mediante o emprego de meios extrajudiciais de prevenção e resolução de conflitos individuais e coletivos; e
  • perceber o fenômeno jurídico em suas formas de expressão cultural.
 
Formas de Ingresso 
  • Processo seletivo por meio de exame vestibular aberto a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente;
     
  • Processo seletivo específico para portadores de diploma de graduação, sob condição de existência de vagas abertas pela Faculdade, obedecendo ao calendário da Universidade;
     
  • Matrícula por transferência sob a condição de existência de vaga, obedecendo ao calendário da Universidade ;
     
  • Prouni, obedecendo ao calendário da Universidade;
     
  • Reopção de curso, aberta pela Faculdade, obedecendo ao calendário da Universidade;
     

Edital de Reopção de Curso 2017

  • Reopção de Curso 2017 - Candidatos selecionados para a entrevista pessoal - Clique aqui;

  • Candidatos aprovados - Resultado do processo de Reopção de 2017.
Serviços 

COORDENADORIA DO ESCRITÓRIO MODELO "DOM PAULO EVARISTO ARNS"
NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE DIREITO DA PUC-SP
ASSESSORIA JURÍDICA POPULAR - ASSISTÊNCIA JURÍDICA GRATUITA - MEDIAÇÃO DE CONFITOS


O Escritório Modelo Dom Paulo Evaristo Arns, Unidade de Prática Jurídica Faculdade de Direito da PUC-SP, disponibiliza serviços jurídicos gratuitos à população desfavorecida social e economicamente.

Desenvolve projetos de natureza social e atua fortemente em diversas comunidades na defesa de questões/causas coletivas, fomentando políticas públicas - especialmente relacionadas às "minorias" sociais - num trabalho de diálogo direto com o Poder Público.
Presta Assessoria Jurídica Popular, Assistência Jurídica Gratuita e faz Mediação de Conflitos.

Sua atuação tem como base a proteção, a garantia e a conscientização de Direitos, no contato direto com a população e com o aluno, através da prática multiprofissional e interdisciplinar. Veículo importante de difusão do conhecimento acadêmico, no auxílio real do exercício da cidadania.

Coordenado por professores da Faculdade de Direito, auxiliados por estudantes/estagiários, acompanhados por uma equipe altamente qualificada de advogados orientadores, oferece também apoio e atendimento psicológico e social. Orientar, assessorar, defender, mediar e postular em juízo em prol da população socialmente vulnerável são os objetivos do Escritório Modelo.

Alinha-se com os princípios da dignidade humana e da sustentabilidade planetária, busca meios de erradicação das desigualdades sociais e promove a convivência pacífica e harmônica entre os indivíduos.

Com 16.500 ações judiciais propostas e 59 comunidades atendidas, é reconhecidamente um dos maiores polos de provocação judicial para defesa e realização de direitos no Brasil”.

Favorecer o amplo acesso à Justiça é sua meta principal.
Horário de Atendimento:
2ª a 5ª feira: 13h30 às 15h30
Horário de Funcionamento:
2ª a 6ª feira: 8h00 às 18h00
Endereço:
Rua João Ramalho, 295
Perdizes - São Paulo - SP
CEP: 05008-001
E-mail:esc.modelo@pucsp.br
Telefones:
(11) 3873 3200 / 3873 5789
Fax: (11) 3862-9778
Página: www.escritoriomodelo.pucsp.br

Composição

  • Prof. Nelson Saule Júnior - Supervisor Jurídico
  • Profa. Ana Amélia Mascarenhas Camargos - Coordenadora
  • Profa. Gabriela Zancaner Brunini - Coordenadora
  • Profa. Celeste Maria Gama Melão - Coordenadora
     

COORDENADORIA DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA FACULDADE DE DIREITO DA PUC-SP
O Juizado Especial Cível no bairro de Perdizes, resultado de um convênio entre a PUC-SP e o Tribunal de Justiça de São Paulo, conhecido popularmente como Tribunal de Pequenas Causas, o novo Juizado abre mais um campo de aprendizagem prática aos graduandos do curso de Direito da PUC-SP, pois prevê a presença de estagiários atuando na função de conciliadores. Isso significa que, antes de cada caso ser levado ao Juiz, caberá aos estagiários a tentativa de promover o acordo entre as partes. A participação nesse tipo de atividade é importante na medida em que acrescenta valor ao currículo do profissional formado pela PUC-SP, o que é de grande utilidade na disputa por vagas no mercado de trabalho.
Email: juizadocivel@pucsp.br
Endereço: Rua João Ramalho, 295, Perdizes
São Paulo – SP
CEP: 05008-001
Telefones: (11) 3675 5438 / 3676 1088
Horário de Funcionamento:
2ª à 6ª feira: 13h00 às 19h00

Composição

  • Prof. Luiz Antonio de Souza
  • Profa. Patrícia Miranda Pizzol

Atribuições
Implantado pela Lei 9.099 de setembro de 1995, o Juizado Especial Cível assumiu uma posição de destaque na prestação jurisdicional, principalmente no tocante às camadas mais desamparadas da sociedade, realizando suas funções com seriedade, rapidez, eficiência e respeito aos jurisdicionados, tudo isto de forma gratuita. Muitos são os casos relacionados ao direito do consumidor e reparação de danos em geral.

Qualquer cidadão capaz poderá ajuizar ação. Até o limite de 20 salários mínimos, é facultado o acompanhamento de advogado uma vez que a PUC-SP disponibiliza estagiários e profissionais para atendimento. Sendo superior a 20 com limite máximo de 40 salários mínimos, obrigatoriamente deve haver acompanhamento de advogado particular.

As atividades desenvolvidas incluem: atendimento (verificação de competência material e territorial, documentação, entre outros); elaboração de petições iniciais; acompanhamento de processos (desde sua abertura até seu arquivamento junto ao cartório instalado nas dependências do JEC); realização de audiências de conciliação ( buscando uma melhor forma de solução para o litígio); acompanhamento de audiências de Instrução e Julgamento; além de encaminhamentos para os assuntos que fogem da competência deste Juizado.

O Tribunal de Justiça em parceria com a PUC-SP inaugurou em maio de 2005 mais um anexo do Juizado Especial Cível Central, o Anexo VI PUC-SP, trazendo para perto dos alunos, funcionários, professores e toda a comunidade o acesso à Justiça Gratuita.

Gestão 

Conselho da Faculdade

Atribuições

Conforme Art. 5º do Regimento Interno, as sessões do Conselho da Faculdade serão instaladas com a presença de maioria simples de seus membros, que tomarão as decisões, cabendo também ao Diretor da Faculdade, seu Presidente, o voto de qualidade.

Composição:

Diretor da Faculdade de Direito
Prof. Dr. Pedro Paulo Teixeira Manus

Diretor Adjunto
Prof. Dr. Vidal Serrano Nunes Júnior

Departamento I
Chefe: Prof. Dr. Celso Fernandes Campilongo
Suplente: Profa. Dra. Márcia Cristina de Souza Alvim

Departamento II
Chefe: Profa. Dra. Carla Teresa Martins Romar
Suplente: Prof. Dr. Nelson Nery Junior

Departamento III
Chefe: Prof. Dr. Christiano Jorge Santos
Suplente: Prof. Dr. Guilherme de Souza Nucci

Departamento IV
Chefe: Prof. Dr. Fábio Ulhoa Coelho
Suplente: Profa. Dra. Elizabeth Nazar Carrazza

Departamento V
Chefe: Prof. Dr. Silvio Luis Ferreira da Rocha
Suplente: Prof. Dr. Pietro de Jesús Lora Alarcón

Departamento VI
Chefe: Profa. Dra. Suzana Maria Pimenta Catta Preta Federighi
Suplente: Profa. Carolina Magnani Hiromoto

Coordenadora do Curso de Graduação
Profa. Dra. Julcira Maria de Mello Vianna Lisboa

Vice-Coordenador do Curso de Graduação
Prof. Dr. Thiago Lopes Matsushita

Coordenador do Programa de Pós–Graduação
Prof. Dr. Wagner Balera

Vice- Coordenadora do Programa de Pós-Graduação
Profa. Dra. Rosa Maria Barreto Borriello de Andrade Nery

Representantes dos Funcionários Administrativos
Sem representação

Coordenador do Curso de Educação Continuada
Sem representação
1(um) representante de cada Núcleo Extensionista da Faculdade
Sem representação
1(um) representante de cada Núcleo de Prática Jurídica
Sem representação

Representante do Grupo de Pesquisa da Faculdade
Prof. Dr. Luiz Alberto David Araujo

Representantes Discentes do Pós-Graduação
Titular: Thiago de Carvalho e Silva e Silva
Suplente: Fabio Lemos Cury

Representantes Discentes

Primeiro Ano:
Titular: Victoria Mayuald
Suplente: Laura Silva Ribeiro

Segundo Ano:
Titular: João Gabriel Souza de Carvalho
Suplente: André Melo Feneira

Terceiro Ano:
Titular: Lucas Marques Gonçalves Lopes
Suplente: Gustavo Goldoni Barijan

Quarto Ano:
Titular: Jorge Hector Choung
Suplente: Victor de Almeida Pessoa

Quinto Ano:
Titular:
Suplente:            

Corpo Docente 
Laboratórios 

O curso conta com uma estrutura de laboratórios de informática administrada pela Divisão de Tecnologia da Informação (DTI) da PUC-SP. Com um total de 31 laboratórios de informática, divididos entre os campi Marques de Paranaguá (8), Monte Alegre (19) , Santana (2), Barueri (1) e Sorocaba (1), todos conectados em rede à uma velocidade de 100Mps.

Esses mais de 1000 computadores integram os cerca de 2300 computadores da grande rede PUCSPNet, totalmente conectada à Internet, onde utilizamos um link principal de acesso com velocidade de 1Gbps.

Contamos ainda com uma política de licenciamento de software através de programas educacionais e parcerias com empresas como IBM (IBM Rational), Microsoft (MSDN Academic Alliance), CorelDraw, Adobe (Flash, Dreamweaver, InDesign, Photoshop, Director),  além de softwares específicos como Vue, Cinema 4D, SPSS, SolidWorks, entre outros.
 

Avaliação do aluno 
O Sistema de Avaliação está previsto na Seção IV do Regimento da Faculdade de Direito, nos seguintes termos:
 
Art.89. Considera-se aprovado na disciplina o aluno que houver comparecido a pelo menos 75% (setenta e cinco por cento) das aulas ministradas e tiver obtido, na avaliação, nota igual ou superior a 6,0 (seis) em escala de 0,0(zero) a 10,0 (dez).
 
    §1º. O aluno que não obtiver média final 6,0 (seis) terá direito a uma avaliação de recuperação, desde que tenha média final igual ou superior a 3,0(três).
 
    §2º. Para ser aprovado no semestre, o aluno em recuperação deverá obter no mínimo nota 6,0(seis) na avaliação de recuperação, que será feita em uma única prova, oral ou escrita, a critério do professor.
 
TCC 

A Coordenadoria do Núcleo de Monografia Jurídica é responsável pelo acompanhamento integral da elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso. Para tanto, edita as regras necessárias ao cumprimento da exigência do Ministério da Educação, promovendo estudos sobre metodologia do trabalho científico, para alunos e professores.

A Faculdade de Direito tem um grande número de professores-orientadores, professores da Faculdade, todos eles portadores, no mínimo, do título de Mestre. Cada professor deve orientar o mínimo de 08 (oito) alunos e o máximo de 10 (dez) alunos, conforme Deliberação nº 02/2014 do CONSAD, o que garante que possa haver um acompanhamento efetivo do processo de realização do Trabalho de Conclusão de Curso. Tal orientação ocorre no 9o e 10º períodos e o Professor-Orientador é remunerado por essa atividade.

A matriz curricular inclui duas “disciplinas” denominadas Monografia I e Monografia II. As referidas disciplinas são componentes curriculares e são desenvolvidas individualmente.

A Monografia I tem por objetivo fazer com que o aluno defina o tema a ser trabalhado, estruture o sumário, elabore o projeto de desenvolvimento científico, bibliografia a ser trabalhada e o cronograma a ser cumprido. Deverá obedecer ao desenvolvimento proposto pelo professor que atribuirá nota a partir dos prazos e metas estabelecidos pelo orientador. Ao final do semestre o aluno deverá estar apto a estruturar um projeto de pesquisa jurídica. O professor orientador pode estabelecer o critério de desenvolvimento do trabalho do semestre por meio de atendimento individualizado de todas as formas admitidas na Instituição, ou seja, pessoalmente ou virtualmente.

A Monografia II tem por objetivo desenvolver o cronograma de trabalho estruturado na Monografia I. Deverá, ao final do semestre, apresentar trabalho escrito individualmente, sob a orientação permanente do professor anteriormente escolhido. O aluno, ao final, deverá estar apto a produzir texto científico jurídico. O método de trabalho a ser executado será aquele definido na Monografia I. A atribuição de nota deverá ser efetuada com base no resultado final apresentado bem como no cumprimento das etapas definidas pelo professor orientador como necessárias à sua boa conclusão.

Em ambos os casos, o Núcleo de Monografia agirá como suporte normativo e executivo do corpo discente e docente ao menos nas seguintes etapas: a) escolha de orientador; b) dar suporte aos Professores-Orientadores e seus orientandos no decorrer dos trabalhos; c) encaminhamento para prêmio de menção honrosa; d) organização das bancas examinadoras; e) organização e arquivamento de dados da produção do TCC, de forma virtual.

O Núcleo de Monografia é coordenado por professores doutores que realizam todo o acompanhamento das atividades praticadas nas disciplinas Monografia I e II. Referidas disciplinas são realizadas no 9º e 10º períodos do Curso, com escolha efetuada pelos alunos de seu Professor-Orientador. No decorrer dos trabalhos, a orientação é feita de forma on-line e presencial, através de encontros definidos em cronograma estabelecido pelo orientador e orientando. Todas as normas, prazos e procedimentos são estabelecidos e acompanhados pela Coordenação, com publicação no site da Faculdade de Direito.

 

COORDENAÇÃO
Composição
Profa. Márcia Cristina de Souza Alvim
Profa. Suely Ester Gitelman

 

Atividades de formação 
O projeto Pedagógico do curso de Direito procura realçar a formação humanista do aluno de forma a criar condições concretas para que, no desenvolvimento de sua atividade, o profissional esteja atento ao caráter social de seu trabalho e das possibilidades transformadoras do Direito. Além disto, se propõe a dar conta de preparar o aluno para enfrentar as complexidades da sociedade contemporânea em suas dimensões particulares e globais e também para enfrentar difíceis condições do mercado de trabalho. As disciplinas oferecidas pela Faculdade de Direito compreendem um eixo de formação fundamental, um eixo de formação profissional e um eixo de formação prática que deverão ser desenvolvidos ao longo de 10 semestres. Assim, na organização da grade curricular, existe uma nítida separação entre os três ciclos que seguem.
 
  • CICLO FUNDAMENTAL. Predominam nos quatro primeiros semestres do curso as disciplinas da área das humanidades (Sociologia Geral e Jurídica, Filosofia e Filosofia do Direito, Introdução ao Pensamento Teológico) e as disciplinas instrumentais fundantes (Metodologia e Lógica Jurídica; e Redação e Linguagem jurídica). A preocupação é com a formação fundamental. O Projeto Pedagógico parte da ideia de que na formulação dos programas destas disciplinas fundamentais, devem os Departamentos responsáveis buscar integração com as demais Faculdades da PUC-SP, de forma a garantir a abrangência e atualidade que tal tipo de disciplina pressupõe.
     
  • CICLO PROFISSIONALIZANTE. Nos quatro semestres seguintes (5°, 6º, 7º e 8º anos) são desenvolvidas, em especial, as disciplinas profissionalizantes da área jurídica, como: Direito Civil, Direito Processual Civil, Direito Penal, Direito Processual Penal, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Direito Comercial, Direito do Trabalho, Direito Tributário. Neste ciclo a preocupação é com a formação profissional.
     
  • CICLO PRÁTICO. Nos 5º, 6º e 8º semestres será dada grande ênfase à parte prática, por meio do Núcleo de Prática Jurídica. Neste ciclo a preocupação é com a formação prática do aluno.
Como conclusão, podemos afirmar que a nova organização curricular da Faculdade de Direito tem como objetivo garantir aos alunos: uma formação generalista; o conhecimento teórico do direito positivado nas suas diversas áreas; e o exercício da prática jurídica.
Estágio curricular 
A reforma curricular da Faculdade de Direito, já aprovada em todas as instâncias colegiadas da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, contempla, incorporada na grade horária, disciplina denominada Núcleo de Prática Jurídica (NPJ), inscrita no ciclo de prática, que, ao lado dos ciclos fundamental e profissionalizante formam a tríade sustentadora do curso de Direito da Faculdade de Direito da PUC-SP. Sua carga horária, também aprovada, dispõe que o aproveitamento do alunado envolve: 85 h/a no 5º semestre; 85 h/a no 6º semestre; 34 h/a no 8º semestre.
 
Trata-se de alteração significativa na regulação da atividade prática para os alunos da Faculdade de Direito. O ensino jurídico pode ser visto a partir de várias diferenciações no que se refere às disciplinas ofertadas para compor o todo do material jurídico ofertado ao alunado. Uma dessas formas de diferenciação, a que pretendemos nos filiar, funda-se em uma percepção do ensino jurídico em dois grandes eixos: a) o eixo material e b) o eixo processual. Para que isso ocorra, devemos oferecer aos alunos uma forma de aproximação com o direito que leve em conta não mais, unicamente, atividades simuladas, que continuam a ser importantes, mas também análise de casos reais, inclusive, quando possível, com intervenção judicial ou extrajudicial verdadeira. Isso exige que tenhamos no NPJ tanto atividades desenvolvidas a partir de simulação, quanto desenvolvidas a partir de casos reais onde, com o auxílio do conhecimento construído tanto pelo Escritório Modelo Dom Paulo Evaristo Arns quanto pelo Juizado Especial Cível, poderemos desenvolver em conjunto temas que estão ou podem vir a ser desenvolvidos por aquelas unidades de extensão.
 
As atividades do Núcleo de Prática Jurídica devem ser desenvolvidas: por professores do eixo material (civil, penal, administrativa, constitucional, comercial, etc.); por professores do eixo processual (processo civil, processo penal, processo constitucional, processo administrativo, etc.); e pelos advogados-orientadores do Escritório Modelo ou profissionais do Juizado Especial Cível.
 
Para as atividades de intervenção real, que existiriam em conjunto com as atividades simuladas, o Escritório Modelo, por exemplo, poderia funcionar como unidade de operacionalização da propositura das demandas judiciais, tanto para as disciplinas que se utilizem de temas que já são desenvolvidas pelo Escritório Modelo Dom Paulo Evaristo Arns, onde esses advogados funcionariam ou em conjunto com o professor do eixo material, em dupla, ou como a operacionalizar as questões desenvolvidas nas disciplinas que sejam ministradas por professores do eixo material e do eixo processual. Também, em conjunto com o Juizado Especial Cível, pode operacionalizar as atividades de mediação, pois as duas unidades têm, hoje, atividades nessas áreas, inclusive com núcleos especializados.
 
Assim, poderiam esses profissionais (advogados-orientadores e profissionais do Juizado) funcionar, quando o objetivo da disciplina é ocorrer como um laboratório para a propositura de ações, ou outra forma de intervenção judicial ou extrajudicial, como a judicializar a demanda preparada e discutida nas disciplinas ou realizar atividades de mediação.
 
 
COORDENAÇÃO
Composição
Prof. Álvaro Luiz Travassos de Azevedo Gonzaga
Prof. Hugo Crepaldi Neto
 
 
Grade Curricular 
Campus Monte Alegre
Selecione o periodo:
Manhã     Noite
Mensalidades 
A Universidade adota o Regime Financeiro semestral ou anual de cobrança, de acordo com o Projeto Pedagógico do curso, sendo a semestralidade ou anuidade paga em até 06 (seis) ou em até 12 (doze) parcelas mensais sucessivas, conforme o caso.
 
O cálculo das mensalidades é feito com base em todas as atividades (disciplinas e outros componentes curriculares) relativas a cada período letivo do curso, de acordo com seu Projeto Pedagógico.
 
Valor da mensalidade
O Edital de Mensalidades é publicado nos quadros de aviso da Universidade e os valores de cada curso são calculados com base nas atividades pedagógicas previstas.
Aproveitamento de Estudos
O estudante que ingressar através do processo de Transferência ou pelo processo de Portador de Diploma e tiver aproveitamento de estudos e/ou adaptação curricular, realizará a matricula nas atividades pedagógicas de acordo com o plano de estudos elaborado pela coordenação do curso. 
Reajustes de mensalidades
Os valores das mensalidades estão sujeitos aos reajustes conforme Contrato de Prestação de Serviços Educacionais.
Data do vencimento
A data de vencimento de cada mensalidade ocorrerá sempre no dia 5 (cinco) de cada mês.
Pagamento
Os pagamentos efetuados até o dia 1º do mês serão - por mera liberalidade - objetos de um desconto por antecipação, conforme discriminado no boleto. Este desconto pode ser suspenso sem prévio aviso.
Reconhecimento 

Renovação de Reconhecimento: Portaria nº 113 de 27/06/2012 DOU de 28/06/2012.
Nota CC: 05 (Conceito de Curso) -  Resultado final do recurso junto ao MEC

Duração 

10 Semestres

Avaliação do curso 
Sistema de Avaliação do PPC:

A autoavaliação do curso tem como propósito o aprimoramento de seu Projeto Pedagógico (PPC).

Trata-se de um processo contínuo que, por meio de diferentes fontes de informação, analisa a coerência e a efetividade entre princípios da proposta pedagógica e sua dinâmica de funcionamento. 

Sua realização está a cargo do Núcleo Docente Estruturante (NDE), da Coordenação Didática do Curso, do Conselho de Faculdade e da Câmara de Graduação. 

Por meio da autoavaliação, esses colegiados monitoram a implantação do PPC dialogando com as demandas advindas do cotidiano e com as informações construídas por meio de escutas periódicas. Para tanto são utilizados instrumentos específicos: 

a) avaliação contínua do aluno; 

b) avaliação das condições de ensino (infraestrutura, equipamentos e gestão acadêmico-administrativa);

c) avaliação dos aspectos didático-pedagógicos do corpo docente, realizada por meio da autoavaliação do professor e da docência pelo aluno.

Envolve também diferentes parcerias da universidade que, direta ou indiretamente, contribuem para a qualidade da formação dos alunos, especialmente os departamentos. 

Esse processo articula-se internamente à Autoavaliação Institucional, coordenada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA), situando o curso no contexto da Universidade e, externamente, com o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES). Essa articulação externa leva em conta os resultados do Enade, as Avaliações in loco e os indicadores de qualidade do MEC, como o Conceito Preliminar de Curso (CPC). 

Competência e habilidades 

O Curso de Direito da PUC-SP proporcionar a formação de profissionais com conhecimento técnico-jurídicos, éticos e humanista, garantindo-lhes competências para ajudar na transformação da sociedade. 
 

Áreas de atuação 

Advocacia, cargos privativos de bacharel em Direito, tais como: Magistratura, Ministério Público, delegado de polícia, membro do magistério Superior, etc.

Vagas turnos e campi 
Histórico 
Excelência na formação de profissionais e cidadãos
 
A Faculdade Paulista de Direito foi fundada em 10 de outubro de 1945. No entanto, a data oficial de sua criação é 22 de agosto de 1946, quando foi reconhecida pelo Governo Federal através da sua junção com a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São Bento.
 
Nossa Faculdade foi instalada com a preocupação de incentivar o espírito de pesquisa por parte de professores e alunos, bem como o desenvolvimento da parte prática do curso, sempre discutindo os problemas sociais e jurídicos da atualidade.
 
Ao longo de seus mais de 60 anos, a Faculdade de Direito da PUC-SP vem contribuindo para o aprimoramento da ciência do Direito, à medida que mantém entre suas prioridades a defesa da democracia, a valorização dos direitos humanos e o exercício da cidadania.
Objetivos 

O curso de Direito procura realçar a formação humanista do aluno de forma a criar condições concretas para que, no desenvolvimento de sua atividade, o profissional esteja atento ao caráter social de seu trabalho e das possibilidades transformadoras do Direito. Além disto, se propõe a dar conta de preparar o aluno para enfrentar as complexidades da sociedade contemporânea em suas dimensões particulares e globais e também para enfrentar difíceis condições do mercado de trabalho.

 

Grau 
Bacharelado
Regime de matrícula 
Semestre
Campus 
Campus Perdizes
Modalidade 
Presencial
Coordenação 
Contato 
Coordenação do Curso

Telefone: 3670-8127

Profa. Julcira Maria de Mello Vianna Lisboa (Coordenadora)
Prof. Thiago Lopes Matsushita (Vice-Coordenador)

Sala dos Professores e Direção

Telefone: 3670-8127
Horário de Funcionamento (férias) 

de 02/01 a 13/01/2017: 2ª a 6ª feira das 06h30 às 12h0 e das 13h00 às 15h00

de 16/01 a 24/01/2017: 2ª a 6ª feira das 14h00 às 15h00 e das 16h00 às 22h00

de 26/01 a 17/02/2017: 2ª a 6ª feira das 06h30 às 12h00 e das 13h00 às 22h00

Secretaria da Faculdade de Direito

Horário de Funcionamento: 2ª a 6ª feira das 08h00 às 20h00

Setor de Estágio

Horário de Funcionamento (férias)

de 02/01 a 13/01/2017: 2ª a 6ª feira das 08h00 às 14h00 e das 15h00 às 17h00

de16/01 a 20/01/2017: 2ª a 6ª feira das 09h00 às 13h00

de 23/01 a 01/02/2017: 2ª a 6ª feira das 07h30 às 13h00 e das 14h00 às 16h00

de 02/02 a 17/02/2017: 2ª a 6ª feira das 08h30 às 13h00 e das 14h00 às 17h00

Monitoria 

Monitoria é uma atividade técnico-didática, em que o aluno é indicado por um professor após comprovar pela nota média conquistada, justamente por demonstrar maior conhecimento em determinada disciplina, através de seu envolvimento nos assuntos atinentes a área, para desenvolver o caráter pedagógico e também de pesquisas do aluno. As horas de acompanhamento docente e aprendizado acadêmico podem ser contabilizadas como atividades complementares e sua certidão vale como título em provas e concursos de ingresso na carreira de magistério sendo considerada atividade acadêmica relevante e seu exercício constará do prontuário e do currículo do aluno. Cada professor poderá ter no máximo um monitor por turma e o aluno indicado deve possuir nota igual ou superior a oito, na matéria indicada a monitorar, devendo entregar relatório final de atividade para comprovação do exercício de sua monitoria.

 

 

Iniciação Científica 

As Pesquisas de Iniciação Científica constituem-se com Dois Tipos de Bolsas para Pesquisas (PIBIC-CEPE e PIBIC-CNPq) e ainda com a Modalidade de Participação Sem Bolsa, sendo aceitos somente para o PIBIC-CEPE, Alunos de Iniciação Científica sem subsídio financeiro. O Valor da Bolsa para as Pesquisas de Iniciação Científica - PIBIC-CEPE da PUC-SP é de R$ 300,00 vigentes desde Março de 2007. O cumprimento rigoroso dos prazos é fundamental para atendimento e andamento dos projetos evitando. Programa Institucional de Iniciação Científica Programa criado pelo Conselho Universitário da PUC-SP - CONSUN em Junho de 1988 e regulamentado pelo Conselho de Ensino e Pesquisa - CEPE em Setembro de 1988 visa “despertar vocação científica e incentivar talentos potenciais entre estudantes de graduação” assim como “possibilitar ao iniciante a aprendizagem de técnicas e métodos, e estimular o desenvolvimento do pensar e do criar científicos” Existem hoje na PUC-SP duas modalidades de Bolsas de Iniciação Científica: PIBIC-CEPE e PIBIC-CNPq, este último faz parte do Programa de Bolsa de Iniciação Científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, que fôra criado antes do PIBIC-CEPE e era destinado somente às universidades públicas, principalmente federais, sendo que a partir de 1989, devido à demonstração junto ao CNPq, da natureza pública das atividades da PUC-SP e de seu caráter comunitário, conseguiu-se a obtenção de quotas do PIBIC-CNPq destinadas também à nossa Universidade.
 

MANUAIS
Manual de Normas e Procedimentos Gerais
Manual de Normas e Procedimentos - PIBIC/CEPE e PIBIC/CNPq

Editais, Orientações, Resultados e Calendários de Pesquisas, consulte aqui

Estágio 

Avisos e Portarias Publicados no Curso de Estágio Supervisionado

 

Estágios

Formulários e Documentos 
Eventos 

Situação 
Matrículas abertas
ID Curso Totvs 
219
ID Filial Totvs 
1
Matriz Curricular 
Última atualização:

Conecte-se à PUC-SP