Apresentação

O diabo é figura sagrada e, como tal, cercada de interditos e diferenciada das coisas profanas. Há, segundo Durkheim (2000, p.452), “duas espécies de sagrado, um fasto, o outro nefasto”. O diabo é o sagrado nefasto, potência má e impura, razão das doenças, da morte dos malefícios, do sofrimento, dos atentados à ordem social hegemônica. O divino e o diabólico são os dois polos, contrários e antagônicos, em torno dos quais gravita toda a vida religiosa.

O diabo inicia seu protagonismo na cena religiosa e teológica apenas por volta do século XII ou XIII. Até o final do século X ou XI a teologia cristã ainda não havia desenvolvido uma reflexão sistemática (e obsessiva, diga-se) a respeito do diabo. Ela ainda estava sob os influxos da cena politeísta dos povos conquistados. A imagem do diabo como uma espécie de imperador das regiões inferiores, um senhor soberano das hostes promotoras do mal e da malignidade, essa figura soberana, foi produto do amalgamento de diferentes tradições religiosas, bíblicas e pagãs. Em meio às dores do parto de uma nova ordem social, esse personagem maléfico adquire força e protagonismo no Ocidente.

 


Objetivos

Entender como a figura do diabo serviu aos propósitos de controle social e fortalecimento dos poderes dos reis e da Igreja na Idade Média e início da Modernidade e como o diabo subsiste em culturas secularizadas.

Sobre o Curso
  • Categoria: Extensão
  • Público-alvo:

    Público em geral, porém, dar-se preferência a pessoas portadoras de diploma de curso superior em Ciências da Religião, Psicologia, História, Ciências Sociais, Direito, Teologia e áreas afins.

  • Duração: 16 horas
  • Local: Vila Mariana - Cogeae
  • INSCREVA-SE

Cursos relacionados com inscrições abertas

Especialização
Extensão, Curso Online
Especialização
Especialização
Especialização
Especialização
Especialização
Extensão, Curso Online
Extensão, Curso Online
Menu
Educação
Continuada
J.PUC-SP
Sou PUC